Meu Primeiro Amor?


História muito antiga, de antes de minha primeira série. Eu era uma criança inocente. Não tanto, já que eu era do tipo que subia em escadas, caia e ficava com uma cicatriz gigante nas costas. Mas havia um fato curioso sobre mim nessa época que o eu atual não conseguiu igualar: Eu tinha uma namorada.

Calma, não se sinta surpreso ou deprimido por ter sido superado por um garoto de menos de 7 anos. Apesar de parecer impressionante, namorar naquela época para mim não tinha nenhum significado real. Era legal poder contar pros outros com a boca cheia que aquela garota bonitinha era minha namorada. Soava legal. Só que até onde eu me lembre, nunca a beijei ou coisa do tipo. Eu dúvido muito que sequer tenhamos nos abraçados ou até mesmo segurado as mãos. Se bobear ela ainda abusava do privilegio de ser minha namorada e fazia eu guardar um lugar na fila pra ela ou segurar a mochila dela.

Mas eu tinha uma namorada e era isso que importava. Para um garoto de 7 anos isso era psicológicamente bom. Ou seja, tudo estava ótimo na minha vida e eu era uma criança abusada, mas feliz. Só que em um belo dia no parquinho da escola, sem nenhuma explicação, ela chegou pra mim e disse:

“Ei, vamos parar de namorar tá bom? Agora eu vou namorar com o Felipe. Tchau!”

Eu só pude concordar e ficar lá sentado no balanço, indo pra frente e pra trás lentamente, ostentando uma cara de tonto no rosto. Eu não sabia o que eu tinha feito e nem como agir naquela situação. Se eu parar pra pensar bem, esse não foi um evento isolado: Esse primeiro desastre em minha vida amorosa foi um preview de tudo o que estava por vir no resto de meus dias mais avançados. O tempo passou e aqui estou eu, escrevendo em um blog sem muito futuro. E ela provavelmente nem se lembra mais de mim. Mas droga, eu nunca vou me esquecer (Maldita)…

M.K.

4 comentários
  1. Guii disse:

    ouuuuun.

    Eu comecei a escrever que tinha uma namoradinha também, mas acabei apagando.
    Qd eu era pequeno, uma menina da rua de tras me perseguia cara. Tipo, Stalker total.
    Ai eu fugia dela. Era legal brincar com ela na escola, mas todos os dias, na escola, na rua, de manhã até de noite… Era foda mano! Ai eu corria dela!
    Até que chegou um dia e ela “Ah, não gosto mais de vc” e nunca mais falou comigo, na rua, escola, em lugar algum. =[

    Podcast – Traumas de infância.

  2. E daí vc vai morar com o Filipe, é tudo um plano malígno de vingança então?

  3. Ká disse:

    Ain, tadinho de você! :s Esses traumas de infância podem criam cicatrizes profundas né?
    UDHUIASDHUAISDHUASDHAS :P
    Achei seu blog do nada, ri muito com o post, resolvi comentar (:
    Beijos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: