Anônimo


Era uma vez… Não, este não é um bom meio de começar uma história. Decididamente, este não é um conto de fadas. Mas é uma história que merece ser contada.

Tudo começou há muito tempo… Existia um sujeito que precisava enviar algumas revistas pornográficas para um colega. Eram muitas revistas, e ele achou que envia-las pelo correio seria muito trabalhoso. Diante dessa necessidade, ele teve a idéia de criar uma rede compartilhada mundialmente pelas linhas telefônicas. Uma ferramenta ideal para gerar um imenso repositório colaborativo de pornografia mundial. Idéia simples e genial. Com um pouco de sorte e habilidade, ele até conseguiria camuflar sua idéia sob a ótica de uma ferramente de comunicação e trabalho.

Investiu algum tempo nessa idéia. Procurou empresas, e conseguiu patrocínio. Tudo parecia estar correndo perfeitamente. Lançou aquilo que conhecemos como Internet. Tudo corria de maneira perfeita. E o tempo passou…

Passou, e as pessoas adotaram definitivamente a idéia. Mas ninguém se lembrava realmente de quem era o verdadeiro criador daquela porcaria toda. Ele sempre dizia que não ligava para a fama, que estava feliz com a proliferação das câmeras digitais, fotos comprometedoras, sites pornográficos e sex-tapes, mas no fundo estava magoado. E morreu sozinho no esquecimento.

Uma entidade ancestral percebeu o que tinha acontecido. E decidiu intervir em relação ao pobre coitado. Por algum motivo, essa entidade achou que seria uma boa idéia transferir a mente do falecido criador da Internet para a própria Internet. Foi daí que surgiu a existência virtual conhecida por todos apenas como anônimo.

No inicio, não exatamente nos primórdios da Web, mas já em uma idade avançada, anônimo não tinha percebido sua condição, e fazia comentários aleatórios sobre textos diversos que encontrava na rede. Mas aos poucos, percebeu que nunca sairia daquele lugar virtual. Mesmo com toda pornografia e entretenimento que surgia diariamente, anônimo estava ficando enjoado. Anônimo tornou-se um ser raivoso, extremamente triste com a própria condição.

Hoje em dia anônimo está perdido por aí. Algumas vezes usa seu próprio nome. Outras vezes não. Mas sempre está presente por todos os cantos da rede. Desconta sua raiva em blogs, redes sociais e quaisquer outros sistemas online que permitam comentários. Já perdeu todas suas esperanças de um dia se libertar de sua existência. Atualmente, passa seus dias criando flame wars, divulgando vírus em sites pornograficos e gerando spams.

M.K.

8 comentários
  1. B disse:

    para manter meu anonimato prefiro manter o silêncio…

  2. Cara, isso realmente precisava ser contado, é praticamente um serviço de utilidade pública! ;)

  3. Ricelli disse:

    acho que eu não gosto muito desse cara…

  4. Ah, quase postei como anonimo, mas alguém foi mais rápido
    xD

    Odeio o anônimo. O maldito perturba meu sono de vez em quando.

  5. Ana disse:

    Existem também os justiceiros do teclado. Tipinhos complicados esses…

  6. Naochan disse:

    é uma versão “O Grito” para internet… [2]

    (Y) eh issae!

    =*/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: