O Caso do Tarado


Esta não é uma história real. Muito menos ficticia. Cabe a cada um de vocês acreditar na história que irei contar a seguir. Só digo que os verdadeiros envolvidos no caso (E esses sabem que estou falando com eles), podem atestar a veracidade (ou a falta dela) no depoimento que darei a seguir.

Tudo começou com um garoto cujo nome não revelarei aqui, para preservar sua memória. Esse garoto era a perfeita definição de Santo. Ia às missas todos os domingos, sempre se voluntariava para ajudar em programas comunitários, e era o grande amigo de todos, tipica pessoa para quem você pedia as coisas e nunca precisava dar nada em troca.

Dizem que pessoas boas morrem cedo. Para o garoto de nossa história, isso foi verdade. Um dia, salvou um cachorro de ser atropelado, dando sua vida para isso. Seria bom se essa fosse a única tragédia da história. Mas infelizmente não é.

Depois da morte, a noticia correu como fogo em palha e todos ficaram muito tristes. Mas tudo mudou quando examinaram a mochila que o garoto carregava consigo quando foi atropelado. Pois ela tinha dentro de si um número muito grande de CDs e revistas. Até ai nada de mais. Mas quando examinaram o conteúdo desses CDs e revistas, registraram o maior número de pornográfia reunida em um mesmo local já vista na história daquela pequena cidade.

De santo para demônio em menos de um dia. As pessoas do local se escandalizaram. O funeral do garoto foi vaiado, e mais tarde seu túmulo foi pichado em letras garrafais: “Tarado”. Muitos anos depois que essa história aconteceu, tudo ainda era lembrado por muitos como “O caso do tarado”.

Agora, vamos ser justos e explicar para todos o que realmente aconteceu. No dia em que morrera, o garoto tinha ido à um shopping algumas horas mais cedo para se encontrar com um amigo. O ponto de encontro era uma loja de quadrinhos bastante frequentada por todos que moravam lá. Empolgado por encontrar esse amigo que não via há anos, o garoto deixou sua mochila encostada em uma estante de revistas, e ficou jogando conversa fora por mais ou menos uma hora.

Essa uma hora foi essencial para a vida do garoto. Enquanto ele estava distraído, sua mochila foi roubada por um trombadinha que estava “ganhando o dia”. E esse assaltante tinha uma certa tara por material adulto. Depois de roubar a mochila decidiu aproveitar para fazer uma coleta desse tipo de material por todo o shopping. Jogou as coisas do garoto que ainda estava conversando na primeira lixeira pela qual ele passou, e conseguiu muita coisa, mas não vou detalhar o conteúdo por questões de censura.

O problema é que esse trombadinha cometeu um erro e foi descoberto pela polícia quando tentava “passar a mão” na playboy do mês. Fugiu em desespero e acabou encurralado na mesma loja de gibis na qual havia roubado a mochila do garoto.

A polícia ficou muito feliz de prender o meliante, que estava sendo caçado há alguns meses. Tanta euforia fez com que eles esquecessem a mochila do garoto largada na loja. E por coincidência, o local no qual a mochila foi esquecida era o mesmo local de onde ela havia sido roubada. O garoto, sem saber nada do que havia acontecido (Só estranhando a movimentação da policia), despediu-se de seu amigo, colocou a mochila nas costas, e continuou andando.

Depois desse acontecimento, de certa forma trágico, ocorreram os fatos narrados no terceiro paragrafo deste texto.

E neste ponto podemos tirar uma boa lição dessa história toda. Assim é a vida. Você pode ficar marcado para sempre por coisas que nunca fez.

o/

4 comentários
  1. ou não

    R: Duvido que você realmente tenha lido o texto inteiro, mas o comentário está valendo…

  2. Putz, agora que descobri, o blog trocou e eu não joguei no rss, por isso eu estava estranhando que você não atualizava o blog :D

    R: Pois é, espero que isso não tenha causado muitas inconveniencias.

  3. Milena disse:

    Bah, eu nem sei como vim parar aqui, mas me interessei e comecei a ler…
    Fantástica esta história!
    “Você pode ficar marcado para sempre por coisas que nunca fez.”
    Realmente é algo para se pensar…Principalmente quando formos julgar “possíveis” atitudes alheias.
    Um grande abraço, e procurarei retornar a este espaço sempre que possível!
    Até!

  4. Miwi disse:

    Pô… pior que é real
    mto bom o texto
    xD

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: